22 de agosto de 2006

A nuvem

Na seqüência, um poema infantil. Tenho uma pequena série de poesia infantil, que andava guardada esperando novos poemas, mas com o tempo perdi o interesse pelo assunto e a série estancou. Hoje não sei bem o que fazer com ela – só sei que fica uma sensação de assunto pendente.



A nuvem

Uma nuvem lá no céu
lembra um barco de papel;
uma nuvem lembra um homem
.......de chapéu
que chegou e que partiu.

Uma nuvem que corria
lembra à mãe que é meio-dia,
lembra a pressa pro almoço
.......da Maria,
lembra a vida de quem viu.

Lembra a casa, lembra o pão,
lembra os filhos que virão.
Uma nuvem lembra a vida
.......aqui do chão
que passou e ninguém viu.

Passa a nuvem, passa o vento,
passa o dia, passa lento...
E se deixa a vida passa
.......feito a nuvem:
ninguém lembra – ninguém viu.

.....Fábio Aristimunho

9 comentários:

FdP disse...

fábio, meu, estou puto comigo mesmo, mas perdi a récita. adorei teu poema infantil, mas não sei porque "infantil", talvez mais apropriado fosse algo do tipo "sugestão de uso: a partir de seis anos", infantil é muito exclusivista. Enfim. passa no talidomida.blogspot.com, o Ioárrim acabou de abrir blógui, acredita? abraços

Clauky Saba disse...

"aquela nuvem que passa lá em cima sou eu..."


poetabraços com saudades

clauky

ana rüsche disse...

nossa, talidomida.blogspot.com? essa moda pega! irei lá sim!

gostei da indicação do vide bula. e talvez vc possa sim "desovar" esses poemas numa... plaquete... campeã de vendas!

beijinhos

Altivo Neto disse...

O foda é não mais conseguir ler sem a visão infantil! hehe
Vejo que acabou aprendendo a fazer Links... (mexeu no código-fonte, não foi?)
Ah, veja também academiadeletras.blogspot.com , o China vai fazer abrir dentro do site do xideagosto.org.br

Fábio Aristimunho disse...

legal que vocês gostaram do poemeto, pois vêm mais por aí. o problema de poesia infantil é que pode ser mal interpretada se estiver fora de contexto, corre o risco de confundirem com poesia "adulta" bobinha...

oliva: te espero que na próxima, hein?

clauky: "há uma nuvem de lágrimas sobre meus olhos..."

ana: pensei em plaquete, mas nesse caso o tino comercial apita.

altivo: já aprendeu também?

beijos e abraços

virna disse...

eu gostei :-) começei a me interessar por poesia na infância, foi com cecília meireles de "ou isto ou aquilo". tem que ter ritmo & rima, pouca gente faz. go ahead!

beijo,

virna

geraldo disse...

Fábio, juro que entrei de pedras na mão quando vi a idéia, mas não teve jeito. Ficou bem bandeirino (é isso?, inventei agora) mesmo. Concorrendo aos seus de que mais gosto, epustuflante talvez.

ana rüsche disse...

snp, estou com novos planos de dominação mundial partindo da poesia infantil! juntemos pauloff e yo para um livrito?! creio que juntos temos lá uns bons 18 poemas.

besitos

Ju disse...

Gosto muito desse poema, legal vc ter colocado aqui.
Bjo.